| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Opinião Curitiba
Desde: 20/03/2009      Publicadas: 5713      Atualização: 20/09/2017

Capa |  Cidade  |  Conhecendo o Seu Bairro  |  Editorial  |  Educação  |  Espaço Cultural  |  Especial  |  Esporte  |  Estadual  |  Gastronomia  |  Geral  |  Jogo Rápido  |  Jurídica  |  Leia Mais  |  Local  |  Moda Estética & Beleza  |  Momento de Fé  |  Nacional  |  Opinião  |  Opinião Social  |  Passando a limpo  |  Recordar é Viver  |  Saúde  |  Segurança  |  Turismo


 Cidade

  29/06/2017
  0 comentário(s)


Metade da população está acima do peso

Lanches pouco saudáveis são principal razão da obesidade na infância

Metade da população está acima do peso

A obesidade avançou 60% na última década, pulando de 11,8% em 2006 para 18,9% em 2016. Os números foram divulgados nesta semana, pelo Ministério da Saúde, e fazem parte da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). Realizada em todas as capitais brasileiras, o levantamento envolveu 53,2 mil pessoas acima de 18 anos, entre fevereiro e dezembro do ano passado.

Em Curitiba, mais da metade da população (54,2%) está acima do peso segundo os dados do Ministério da Saúde, que aponta ainda um percentual de 18,9% de obesos na cidade. São considerados acima do peso pessoas com Índice de Massa Corporal (IMC) entre 25 e 30, e obesos pessoas com IMC acima de 30 (esse índice é obtido dividindo o peso do paciente pela altura ao quadrado). A pesquisa ainda revelou que 25,9% disseram ter diagnóstico médico de hipertensão e 9,6%, de diabetes.

Hábitos alimentares inadequados e a falta de uma prática regular de atividades físicas têm impactado no aumento da obesidade e na prevalência da diabetes e hipertensão. Os números gerais da pesquisa Vigitel 2016 apontam para um aumento em 61,8% de diabetes; aumento de 14,2% de hipertensão; mais da metade da população está acima do peso recomendado e 18,9% dos brasileiros estão obesos. Por outro lado, a pesquisa também revela uma estabilidade no consumo de bebidas alcoólicas, um aumento no consumo regular de frutas e hortaliças, redução no consumo de refrigerantes e aumento da atividade física no lazer.

“Apesar de todas as campanhas de conscientização e todos os alertas, vemos um crescimento significativo nos números da obesidade e na prevalência das doenças crônicas. Isso revela que é preciso fazer mais, que é necessário um engajamento real de toda sociedade e também mais políticas públicas para controlar a obesidade”, afirma a médica endocrinologista Silmara Leite, presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Regional Paraná (SBEM-PR).

  Autor:   Da Redação


  Mais notícias da seção Junho 2017 no caderno Cidade
29/06/2017 - Junho 2017 - Agência do Trabalhador está em novo endereço
Agência, que funcionou no endereço antigo por 15 anos, agora conta com novas instalações para que empresas possam selecionar candidatos...



Capa |  Cidade  |  Conhecendo o Seu Bairro  |  Editorial  |  Educação  |  Espaço Cultural  |  Especial  |  Esporte  |  Estadual  |  Gastronomia  |  Geral  |  Jogo Rápido  |  Jurídica  |  Leia Mais  |  Local  |  Moda Estética & Beleza  |  Momento de Fé  |  Nacional  |  Opinião  |  Opinião Social  |  Passando a limpo  |  Recordar é Viver  |  Saúde  |  Segurança  |  Turismo
Busca em

  
5713 Notícias